Zeus

Você está aqui

Zeus era a divindade mais poderosa e mais importante do panteão grego. Era conhecido como rei dos deuses e deus do raio, do trovão e dos céus.
Zeus era o deus mais importante da religiosidade dos gregos antigos.
Zeus era o deus mais importante da religiosidade dos gregos antigos.

Zeus era um importante deus da religiosidade dos gregos, considerado o comandante do Universo e aquele que regia e supervisionava os seres humanos e os deuses. Era filho do titã Cronos e tornou-se comandante do Universo após libertar seus irmãos do estômago de seu pai e derrotá-lo em uma batalha. Era conhecido como deus do céu, do raio e do trovão. Os Jogos Olímpicos eram uma forma de cultuá-lo.

Acesse também: Cretenses e micênicos — os povos das civilizações que precederam as cidades-Estado gregas

Resumo sobre Zeus

  • Zeus era conhecido como o deus do céu, do raio e do trovão.

  • Podia controlar o clima e usá-lo para ajudar ou prejudicar os humanos.

  • Era filho de Cronos e Reia.

  • Resgatou seus irmãos, devorados pelo pai, Cronos, e guerreou contra os titãs.

  • Era casado com Hera, mas tinha vários casos extraconjugais.

  • Os gregos lhe prestavam cultos, dentre eles, os Jogos Olímpicos.

Zeus, o deus supremo dos gregos

Zeus era uma das divindades que faziam parte da religiosidade dos gregos antigos, sendo considerado o deus mais poderoso de todos. Residia no Monte Olimpo, regendo o Universo e controlando os céus. Ele comandava os humanos e os outros deuses e era considerado pelos gregos como o deus do trovão, dos céus e do raio. Os romanos conheciam Zeus como Júpiter.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como era o deus dos céus, Zeus tinha o poder de controlar o clima, podendo usá-lo em benefício ou em prejuízo dos seres humanos. Além desses atributos e poderes, Zeus era visto por Hesíodo, poeta que narrou a origem das divindades gregas, como o deus responsável por manter a justiça. Historiadores contemporâneos, no entanto, afirmam que o conceito de justiça de Zeus era influenciado por sua própria vontade.

Zeus, assim como diversos outros deuses gregos, podia receber epítetos que ressaltavam qualidades específicas. Essas alcunhas eram adotadas em determinados locais, como templos religiosos. Dentre seus vários epítetos, podemos destacar:

  • Zeus Agoreu: evidenciava-o como bom para os negócios e como responsável por punir os comerciantes desonestos.

  • Zeus Órquio: distinguia-o como uma divindade que protegia os juramentos e que punia aqueles que não os cumprissem.

Zeus era conhecido por punir severamente as pessoas que cruzavam o seu caminho e que cometiam ações que ele considerava incorretas. Um exemplo disso está na punição que ele decretou aos titãs que lhe combateram na Titanomaquia. Os titãs foram aprisionados pela eternidade no Tártaro, um dos domínios do submundo. A mitologia grega está repleta de exemplos dessas punições.

Ele podia ser o causador de conflitos entre os deuses e entre os seres humanos, mas também era conhecido como uma divindade que podia intervir e resolver desentendimentos. Um dos mitos mais famosos narra a ação de Zeus para intermediar um acordo entre Hades e Deméter por conta de Perséfone.

Os mitos gregos também narram que Zeus casou-se duas vezes, sendo que suas duas esposas foram Métis e Hera. A mitologia narra que Hera, deusa do casamento e protetora das mulheres e do parto, era extremamente ciumenta e punia quem se envolvesse com seu marido. Os ciúmes de Hera se davam pelo fato de que Zeus era extremamente infiel.

Os casos extraconjugais de Zeus foram inúmeros e renderam a ele dezenas de filhos, entre os quais se destacam Perséfone, Apolo, Ártemis, Hermes, Aleteia, Dionísio, Perseu, Herácles etc. Do relacionamento de Zeus com Métis nasceu Atena. Com Hera, Zeus teve Ares, Ilítia, Éris, Hebe, Hefesto e Angelos.

Leia também: Ostracismo ateniense — o banimento ou o exílio de algum membro da sociedade

Origem de Zeus

Zeus era filho de Cronos, um titã que regia o Universo. Cronos era filho de Gaia, personificação da Terra na mitologia grega. A história de Cronos tinha ficado marcada pela luta dele contra o próprio pai, Urano. Depois de derrotar seu pai, Cronos recebeu a profecia de que um de seus filhos o destronaria, assim como ele havia feito com seu genitor.

Depois disso, ele decidiu devorar todos os filhos que tivesse com sua esposa, a titânide Reia. Assim ele fez, mas quando Zeus nasceu, Reia, sua mãe, enganou Cronos, dando-lhe uma pedra com roupas de bebê para que ele comesse. Cronos comeu a pedra, e Zeus foi enviado para Creta para não ser morto por seu pai. Lá, ele foi cuidado por Gaia ou por ninfas que habitavam a ilha — há essa variação entre os mitos.

Assim, Zeus cresceu longe de Cronos e, quando se tornou adulto, voltou para resgatar seus irmãos que foram engolidos. Zeus envenenou o seu pai para que ele vomitasse e assim libertasse todos aqueles que havia devorado. Isso libertou Héstia, Deméter, Hera, Hades e Poseidon. Esse resgate culminou no acontecimento de duas guerras:

  • Titanomaquia: uma guerra entre os deuses e os titãs. Como vimos, os titãs foram derrotados e presos por Zeus no Tártaro.

  • Gigantomaquia: uma guerra entre os deuses e os gigantes, que foram instigados por Gaia, insatisfeita com a derrota dos titãs, que eram filhos dela. Os deuses venceram novamente.

Essas vitórias, além de terem consolidado Zeus como o rei dos deuses, uma vez que ele liderou a guerra contra os titãs e foi o responsável por libertar seus irmãos, permitiram que:

  • Zeus tomasse o céu para si;

  • Poseidon ficasse com as águas;

  • Hades comandasse o submundo.

Veja também: Como era a educação na civilização grega?

Os gregos prestavam culto a Zeus?

Ruínas do Templo de Zeus que ficava em Olímpia, cidade que sediava os Jogos Olímpicos.[1]
Ruínas do Templo de Zeus que ficava em Olímpia, cidade que sediava os Jogos Olímpicos.[1]

Prestar culto a Zeus era uma das práticas estabelecidas na religiosidade grega, e, para isso, existiam templos e estátuas construídas a ele em diferentes locais da Grécia Antiga. Havia também oráculos, isto é, sacerdotes que prestavam culto a Zeus e que se apresentavam como pessoas que poderiam oferecer conselhos e visões sobre o futuro.

Além disso, os gregos realizavam festivais para Zeus. O mais conhecido deles eram os Jogos Olímpicos, que se estabeleceram em Olímpia a partir de 776 a.C. A cada quatro anos, essa cidade reunia homens de toda a Grécia — as mulheres não eram permitidas — para a prática de diferentes competições esportivas.

A cidade de Olímpia possuía, ademais, uma gigante estátua de Zeus que era feita de madeira, marfim e ouro, com altura de 12 metros. Essa estátua ficou particularmente conhecida por integrar a lista das sete maravilhas do mundo antigo. Além disso, Atenas possuía um templo para Zeus Olímpico e um altar para Zeus Agoreu.

  • Videoaula sobre a religião da Grécia Antiga

Créditos de imagem:

[1] Trakadas Ilias / Shutterstock

Por Daniel Neves Silva

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados