Afrodite

Você está aqui

Afrodite foi uma das deusas mais importantes da religiosidade dos gregos antigos; representava o amor, a beleza e outros atributos da sexualidade humana.
Afrodite era considerada a mais bela das deusas gregas.
Afrodite era considerada a mais bela das deusas gregas.

Afrodite foi uma das principais deusas da religiosidade dos gregos antigos e representava o amor, a beleza, a fertilidade, o desejo. Tinha forte relação com a sexualidade humana e era considerada a deusa mais bela entre todas as divindades gregas.Os gregos acreditavam que ela teria nascido na ilha de Chipre.

Acesse também: Apolo — conhecido com deus do Sol, da música, das artes, da poesia, entre outros

Resumo sobre Afrodite

  • Afrodite era a deusa do amor, da beleza, da fertilidade e do desejo para os gregos antigos.
  • Tinha uma forte relação com a sexualidade humana.
  • Os historiadores acreditam que seu culto foi derivado do culto à deusa fenícia Astarte.
  • Os gregos acreditavam que ela teria nascido na ilha de Chipre.
  • Festivais, como Adônia e Afrodísia, eram feitos em homenagem a Afrodite.

Origens de Afrodite

Afrodite foi uma das principais deusas da religiosidade grega. Os gregos acreditavam que ela era a deusa do amor, da beleza, da fertilidade e do desejo e a relacionavam à sexualidade humana. Afrodite era representante do padrão de beleza feminino entre os gregos e conhecida por ser capaz de seduzir qualquer um, tamanha beleza.

Tradicionalmente, a ilha de Chipre é o seu local de nascimento, e sua origem ainda era causa de polêmica entre os gregos. Isso porque dois grandes poetas gregos, responsáveis por compilar grande parte do conhecimento que temos sobre a mitologia grega, discordavam sobre como ela havia surgido.

Esses poetas eram Homero e Hesíodo, sendo que aquele afirmava que Afrodite era filha de Zeus e Dione e este, por sua vez, marcava o nascimento dela durante a revolta de Cronos (pai de Zeus) contra Urano (pai de Cronos). Cronos teria castrado o próprio pai, Urano, e decidido jogar o órgão no oceano. Daí se iniciou uma espuma que teria dado origem à deusa do amor.

Essas divergências foram solucionadas pelo filósofo Platão, que sugeriu que elas existiam por haver na verdade duas deusas. Para Platão, a filha de Zeus seria Afrodite Urânia, relacionada ao amor celestial que vinha da alma; já a deusa surgida da espuma do oceano seria Afrodite Pandêmia, que tinha relação com os prazeres carnais, sendo, portanto, relacionada ao amor lascivo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os historiadores acreditam que o nome Afrodite foi derivado de aphrós, uma palavra do grego referente à espuma do oceano da qual a deusa surgiu. A respeito da origem dessa deusa na cultura grega, os historiadores acreditam que ela foi baseada em Astarte, deusa fenícia fortemente relacionada com a fertilidade e a sexualidade.

De fato, houve muita troca cultural entre gregos e fenícios, e o local de nascimento dessa deusa reforça essa ligação, uma vez que o Chipre é um local muito próximo de onde ficava a Fenícia. Outros historiadores também apontam que o culto a Afrodite tem relação com Ishtar, uma deusa mesopotâmica. Afrodite também foi venerada pelos romanos, sendo conhecida por esse povo como Vênus.

Acesse também: Hades — deus guardião do submundo

Afrodite e a mitologia grega

Vista aérea das ruínas do templo de Afrodite em Afrodísia
Ruínas do templo de Afrodite em Afrodísia.

Afrodite foi uma das principais deusas gregas e bastante conhecida junto de outras divindades, como Atena e Hera. Ela foi protagonista de alguns mitos gregos, a começar pelo mito que explicava o início da Guerra de Troia. Tudo se iniciou quando Eris, deusa da discórdia, ofereceu uma maçã de ouro para a deusa mais bela do panteão grego.

Três deusas reivindicaram a maçã: Afrodite, Atena e Hera. Os deuses gregos não quiseram fazer essa escolha e, portanto, nomearam um mortal para tanto. Esse mortal era Páris, príncipe de Troia. Cada uma das deusas ofereceu uma recompensa a Páris, e ele se decidiu pela oferecida por Afrodite.

A deusa do amor ofereceu a ele o amor da mais bela mulher, que era Helena, esposa do rei de Esparta, Menelau. Páris e Helena se apaixonaram e fugiram para Troia. A desonra de Menelau motivou os gregos a mobilizar tropas para destruir a cidade de Troia. Durante o conflito, Afrodite atuou em defesa dos troianos, mas estes foram derrotados.

Afrodite foi casada com Hefesto, deus do fogo e da metalurgia. Seu marido era conhecido por ter a aparência horrenda, tendo sido rejeitado pela própria mãe, Hera. Afrodite era infeliz em seu casamento e constantemente traía o seu marido, tendo muitos amantes, como Ares, Dioniso, Hermes e Adônis.

Afrodite também se irava, e um caso em especial mencionava sua ira contra Psiquê, uma princesa. Essa princesa era reconhecida por ser muito bonita, e ela recebia honrarias de grandes homens da Terra por isso. Muitos falavam que ela era mais bonita que a própria Afrodite, o que começou a incomodar a deusa.

Ela então enviou seu filho, Eros, para fazer com que Psiquê se apaixonasse por um monstro, mas Eros acabou se apaixonando por Psiquê e se casando com ela em segredo. Psiquê traiu a confiança de Eros, o que desfez o casamento, e ela, desesperada, procurou a própria Afrodite para reatá-lo, a deusa então colocou Psiquê para executar tarefas impossíveis.

No fim, Zeus, a pedido de Eros, interveio na situação e convenceu Afrodite a aceitar o casamento de seu filho. Zeus também realizou um ritual para transformar Psiquê em imortal.

Acesse também: Perséfone — deusa da agricultura e da vegetação

Afrodite e a religiosidade grega

Afrodite era uma deusa muito respeitada, sobretudo na ilha de Chipre, onde supostamente teria nascido. Seu culto era muito importante em cidades litorâneas, relação que se dava por ela ter surgido da espuma do oceano. Em Chipre, a cidade de Pafos centralizava um importante culto à deusa.

Outras cidades gregas, no entanto, prestavam culto a ela e construíam templos e santuários em sua homenagem. Citera e Esparta, por exemplo, tinham importantes cultos a Afrodite, e outras cidades, como Atenas e Corinto, tinham importantes festivais em homenagem a ela, como os festivais Adônia e Afrodísia. Existia, inclusive, a cidade de Afrodísia, nomeada assim em homenagem à deusa.

Por Daniel Neves Silva

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados