Iluminismo

Você está aqui

Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu na Europa, no século XVIII, e motivou profundas transformações naquele continente.
Voltaire foi um dos grandes intelectuais do Iluminismo.[1]
Voltaire foi um dos grandes intelectuais do Iluminismo.[1]

O Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu na Europa, no século XVIII, e defendia a valorização da razão como forma de garantir o progresso da humanidade. Questionava os valores e as autoridades de sua época, como a fé e o absolutismo. Também era contrário ao mercantilismo e defendia novos modelos econômicos.

Entre os principais pensadores iluministas estavam Locke, Rousseau e Voltaire. As obras desses e outros pensadores iluministas apontavam a limitação do poder real, da igualdade e da liberdade dos homens, entre outros valores. Os ideais iluministas inspiraram transformações na Europa e América, incluindo o Brasil.

Acesse também: Independência do Haiti — um evento inspirado por ideias iluministas

Resumo sobre o Iluminismo

  • O Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu na Europa, no século XVIII.
  • Seus adeptos eram críticos do absolutismo e defendiam a limitação do poder real.
  • Entre seus nomes de destaque estavam Rousseau, Adam Smith e Montesquieu.
  • Eram críticos do mercantilismo e da interferência do governo na economia, pois acreditavam no livre mercado.
  • Os ideais do movimento catalisaram mudanças em diversas partes do mundo.

Videoaula sobre o Iluminismo

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que foi o Iluminismo?

O Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu na Europa a partir do século XVIII, sendo responsável por uma grande transformação na cultura europeia. Conhecido também como Ilustração, o Iluminismo fez com que o século XVIII ficasse conhecido como “século das luzes”, tamanha a influência desses ideais sobre a Europa durante esse período.

O Iluminismo propôs mudanças profundas em diversas áreas, como a política, economia, sociedade, cultura, religião, entre outros campos. Importante mencionar que, antes do século XVIII, existia um movimento intelectual que contou com nomes como Francis Bacon e René Descartes e foi entendido por alguns como parte do Iluminismo. Outros historiadores, no entanto, não os incluem como pensadores iluministas.

Os iluministas afirmavam que eles iluminariam a mente das pessoas de seu século. Isso fez com que o movimento ganhasse esse nome que se associa diretamente com a palavra “luz”. As ideias iluministas propagavam uma grande valorização da razão humana e que ela deveria ter mais importância que a fé, além de ser o guia da humanidade na direção do progresso.

Eles rejeitavam as tradições e crenças que não tinham fundamento científico e procuravam usar da razão para explicar os fenômenos da natureza. Também questionavam o controle da Igreja sobre a sociedade em que viviam e criticavam a intolerância religiosa.

A crença dos iluministas no progresso humano fez com que eles fossem enxergados como otimistas, porque acreditavam que o racionalismo e o desenvolvimento científico permitiriam um desenvolvimento pleno da humanidade e de uma sociedade justa (dentro dos parâmetros de justiça deles).

Além disso, os iluministas criticavam o absolutismo, questionavam os princípios econômicos de sua época, afirmavam que todos os homens deveriam ser considerados iguais e, portanto, colocavam-se contra os privilégios de sua sociedade. Defendiam a separação entre Estado e Igreja, e incentivavam a propagação do conhecimento humano.

Pensadores iluministas

Entre os grandes pensadores iluministas, destacaram-se:

  • Rousseau;
  • Voltaire;
  • Montesquieu;
  • Adam Smith.

Principais ideias do Iluminismo

  • Questionamentos do Iluminismo ao absolutismo

O Iluminismo foi um movimento intelectual abertamente crítico ao absolutismo, a forma de governo predominante na Europa do século XVIII. Nesse sistema, o poder se concentrava nas mãos do monarca, que governava com mão de ferro. A sociedade absolutista também era desigual, formada por classes sociais estamentais e por privilégios para algumas classes.

O Iluminismo foi principalmente influente na França, exatamente o país que tinha os mais conhecidos monarcas absolutistas. Os reis franceses governavam seu reino com poderes ilimitados e não havia espaço para questionamento das suas decisões. Os iluministas foram de encontro com essa característica da sociedade francesa e defenderam formas de limitar o poder real.

Eles propuseram que essa limitação ocorresse por meio de um Congresso, que seria eleito pelo povo e o responsável por elaborar uma Constituição, um documento que serviria como a base de uma nação, trazendo os direitos e deveres de todos dentro do Estado.

Os iluministas também questionavam a ausência de liberdade dentro de sua sociedade, pois, como mencionado, não havia espaço para a contestação das vontades do monarca. Assim, eles eram defensores da liberdade de expressão e do direito dos cidadãos de fazerem críticas às autoridades quando lhes fosse apropriado.

Defendiam o direito de liberdade de reunião para poderem debater suas ideias sem o temor de sofrer represálias, e defendiam a liberdade religiosa porque não concordavam com as perseguições que aconteciam por conta das diferenças entre as religiões. Esses ideais tiveram forte apoio da burguesia, o grupo que identificou que eles poderiam ser benéficos na sua ascensão social e econômica.

  • Propostas do Iluminismo para a economia

Os iluministas também propunham mudanças para a economia e eram críticos das práticas do mercantilismo e da constante interferência do Estado sobre a economia. Essas críticas eram de interesse da burguesia, envolvida com o comércio, que gostaria de ver livre das regulações impostas pelo Estado.

Os iluministas defendiam que em economia o Estado não deveria interferir e que o mercado deveria regular a si mesmo. Segundo eles, as interferências estatais somente atrapalhavam a livre iniciativa e impediam o desenvolvimento do comércio e o enriquecimento das pessoas. Eles incentivavam a livre iniciativa e defendiam o livre comércio e a livre concorrência.

Essas ideias ficaram conhecidas como liberalismo econômico, e o seu principal formulador foi o economista Adam Smith. Houve também espaço para que outras propostas fossem formuladas para a economia. O economista francês François Quesnay, por exemplo, defendeu a ideia de que a agricultura seria a grande geradora de riquezas para uma nação.

Acesse também: Transição do feudalismo para o capitalismo —  fenômeno que começou no século XIV

Repercussões do Iluminismo

Os ideais absolutistas repercutiram bastante na Europa e se espalharam por outros locais, chegando à América, por exemplo. Grandes transformações aconteceram por meio deles e grandes acontecimentos se inspiraram neles. Nosso mundo contemporâneo foi construído com base nas ideias iluministas.

Ilustração da Queda da Bastilha, evento que deflagrou a Revolução Francesa.
A Revolução Francesa foi um dos acontecimentos que sofreram forte influência dos ideais iluministas.

As propostas para a economia formuladas por Adam Smith, por exemplo, contribuíram para a formação do capitalismo, sendo que o liberalismo econômico foi muito influente na economia mundial até a Grande Depressão.

As propostas dos iluministas para a religião, por exemplo, foram importantes para popularização da ideia de Estado laico, isto é, que não interfere nos assuntos religiosos e garante liberdade religiosa para sua população.

Na política, os iluministas contribuíram para implodir o absolutismo, levando ao surgimento de novas formas de governo em que havia uma limitação do poder do governante. Muitas nações europeias adotaram monarquias constitucionais como alternativa. Nesse modelo, o poder do monarca é limitado por uma Constituição.

Além disso, acontecimentos marcantes foram influenciados diretamente por esses ideais. Entre eles, destacaram-se:

→ Iluminismo no Brasil

No Brasil, o Iluminismo se deu por meio do questionamento do pacto colonial estabelecido pelos portugueses. O movimento penetrou no país, principalmente, por meio das elites econômicas brasileiras que enviavam os seus filhos para estudarem em locais como a Universidade de Coimbra.

Lá, eles entraram em contato com os ideais iluministas e os trouxeram para o Brasil. As ideias iluministas aqui fizeram com que seus adeptos defendessem o fim do colonialismo, visando à equiparação dos status de Portugal e Brasil, mas muitos começaram a defender o separatismo, com a formação de uma república que reproduzisse os valores iluministas no país.

O iluminismo brasileiro ainda fomentou uma série de revoltas contra o domínio colonial, das quais se destacaram a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana.

 

Créditos das imagens

[1] Naci Yavuz e Shutterstock

Por Daniel Neves Silva

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados