Papiro

Você está aqui

Papiro é uma planta muito comum no Egito que era utilizada para produzir uma folha que servia como superfície para que os egípcios antigos pudessem escrever.
Papiro preenchido com hieroglifos
O papiro era utilizado pelos egípcios para registrar, principalmente, textos governamentais e religiosos.

O papiro é uma planta que era encontrada em abundância no Egito e era utilizada na fabricação de diferentes itens, como as folhas de papiro, utilizadas para a escrita. O papiro foi um dos suportes mais utilizados para a escrita na Antiguidade.

Sua produção era longa e necessitava de pessoal qualificado, os escribas. Isso fazia das folhas de papiro mercadorias caras, e por isso os escribas passavam por um longo processo de treinamento. O papiro perdeu espaço com o surgimento do pergaminho, mas foi bastante utilizado até o século XI d.C.

Leia mais: História da leitura — está intimamente associada à história dos suportes para escrita

Resumo sobre papiro

  • O papiro é uma planta aquática encontrada em abundância no Egito.

  • Era utilizado na fabricação de diferentes itens.

  • Para a fabricação das folhas de papiro, os egípcios usavam as hastes da planta.

  • Acredita-se que o processo de produção das folhas de papiro tenha surgido por volta de 3000 a.C.

  • O papiro perdeu um pouco de influência com o surgimento do pergaminho.

Origem do papiro

Quando se refere ao papiro, o que vem à mente são as folhas de papiro, utilizadas pelos egípcios antigos para escreverem os seus textos. Antes de ser matéria-prima, o papiro era uma planta muito comum no Egito. Seu nome científico é Cyperus papyrus, e a planta é encontrada em locais pantanosos. Dela se fabricava diferentes produtos, entre os quais estavam: folhas, cordas, cestas, tapetes, sapatos etc.

A palavra papiro deu origem à palavra papel, o meio de escrita que utilizamos atualmente. O nome da planta e das folhas foi atribuído pelos gregos e derivou da palavra egípcia papuro. Apesar disso, os egípcios chamavam a planta de djet, tjufi ou wadj. As folhas de papiro eram chamadas pelos egípcios de djema. Acredita-se que a produção das folhas de papiro tenha sido desenvolvida no Egito, por volta de 3000 a.C.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Produção das folhas do papiro

Mãos trabalhando na produção de hastes da planta do papiro
As folhas de papiro eram produzidas por meio das hastes da planta de mesmo nome.

O Egito foi o grande produtor de papiro na Antiguidade, e isso se deveu pela abundância da planta na região. A partir do momento que os egípcios perceberam os usos que poderiam ser feitos da planta, ela passou a ser cultivada em fazendas, e o plantio e o manejo dela ficavam sob estrito controle do governo egípcio.

O papiro era uma planta que poderia alcançar cinco metros de altura, e a produção das folhas era feita com as hastes da planta. O processo de produção do papiro funcionava da seguinte maneira:

  1. A planta era retirada do solo, e então sua haste era cortada em pequenas tiras colocadas lado a lado, formando uma superfície.

  2. Uma resina era passada nessa superfície, e uma segunda camada de hastes do papiro era passada em outra direção (uma camada era horizontal e a outra era vertical).

  3. As tiras eram prensadas e colocadas para secagem no Sol.

  4. Depois da secagem, a folha estava pronta.

A produção do papiro poderia acontecer de maneira que várias páginas fossem feitas de uma vez. Elas eram fabricadas emendadas uma às outras, e isso permitia que o papiro pudesse ser enrolado. Os rolos de papiro eram a forma mais comum de se organizar os escritos na Antiguidade. Em geral, os papiros eram produzidos em 20 páginas, o que dava de seis a 10 metros. No entanto, existem menções a rolos de papiro com cerca de 100 metros de cumprimento.

Leia mais: Processo de mumificação no Antigo Egito

Uso das folhas de papiro

As folhas de papiro produzidas no Egito se popularizam na Antiguidade e eram usadas por gregos e romanos, por exemplo. Os egípcios as usavam, principalmente, para fins governamentais e religiosos, e somente pessoas de boa condição financeira conseguiam ter acesso a essa mercadoria no Egito.

Os responsáveis por registrar as informações nas folhas de papiro passavam por um treinamento exigente e praticavam inicialmente em outras superfícies, como pedaços de madeira e pedra. Só depois de muita prática é que um escriba era autorizado a usar as folhas de papiro. O alto preço do material justifica esse cuidado.

Em geral, as folhas de papiro mediavam:

  • textos religiosos;

  • hinos;

  • documentos de governo;

  • textos científicos;

  • encantamentos;

  • textos literários.

Os egípcios utilizavam as cores preta e vermelha para escreverem. As folhas de papiro foram bastante utilizadas até por volta do século XI d.C.

Por Daniel Neves Silva

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados