Galileu Galilei

Você está aqui

Galileu Galilei foi um importante cientista do período renascentista que deixou grandes contribuições para a Física, para a Astronomia e para a Matemática.
Galileu Galilei foi um dos grandes intelectuais do período renascentista.
Galileu Galilei foi um dos grandes intelectuais do período renascentista.

Galileu Galilei foi um importante cientista do Renascimento que deixou importantes contribuições para diferentes áreas do conhecimento, como a Matemática, a Astronomia e a Física. Ele ficou marcado por fazer observações astronômicas e por defender o modelo copernicano, que afirma que o Sol é o centro do Universo e que os planetas giram ao seu redor.

O físico chegou a estudar Medicina por insistência de seu pai, mas abandonou o curso e desenvolveu carreira em outra área do conhecimento. Ele fez invenções importantes, como o termoscópio, e teve problemas com a Santa Inquisição por defender a centralidade do Sol. Passou os últimos anos de sua vida em prisão domiciliar por defender a teoria heliocêntrica.

Veja também: Como se deu o estabelecimento da Igreja Católica na Idade Média?

Resumo sobre Galileu Galilei

  • Galileu Galilei nasceu em Pisa, em 15 de fevereiro de 1564.

  • Iniciou estudos em Medicina, mas abandonou o curso.

  • Realizou importantes contribuições para a Física, Matemática e Astronomia.

  • Tornou-se um forte defensor do modelo copernicano, isto é, da ideia de que o Sol é o centro do Universo.

  • Foi julgado pela Inquisição duas vezes por defender o heliocentrismo e obrigado a negar a teoria.

  • Morreu em prisão domiciliar.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Biografia de Galileu Galilei

→ Primeiros anos de Galileu Galilei

Galileu Galilei nasceu no dia 15 de fevereiro de 1564 na cidade de Pisa, localizada atualmente na Itália, mas que na época fazia parte do Ducado de Florença. Seus pais eram Vincenzo Galilei, que trabalhava como músico, e Giulia Ammannati. Galileu era o filho mais velho desse casal que, ao todo, teve seis filhos.

A família de Galileu se mudou para Florença quando o jovem tinha oito anos, mas ele ficou sob os cuidados de um tutor chamado Jacobo Borghini. Sua educação foi realizada em um monastério que ficava próximo a Florença, onde ele teve acesso aos conhecimentos básicos que eram ensinados no período renascentista.

A experiência do jovem no monastério desenvolveu nele o desejo de seguir a vida eclesiástica, o que seu pai não permitiu, o orientando a fazer Medicina. Isso porque Vincenzo queria que Galileu se tornasse um médico, pois era uma carreira que traria maior retorno financeiro.

→ Vida adulta de Galileu Galilei

Galileu foi matriculado em Medicina na Universidade de Pisa em 1581, mas, ao longo do curso, ele percebeu que não tinha gosto por essa área do conhecimento. Ele acabou assistindo, por acaso, a uma palestra de Matemática ministrada pelo professor Ostilio Ricci. Ele percebeu, então, que gostaria, na verdade, de estudar Matemática.

Antes disso, Galileu tinha passado por uma experiência significativa. Enquanto estudava, ele observou que um candelabro balançava de um lado a outro por conta da força do vento. Ele ficou intrigado por esse movimento e resolveu fazer um experimento em sua casa, identificando que um pêndulo levava o mesmo tempo para balançar em cada um dos dois lados em que se movimentava.

Essa conclusão de Galileu Galilei foi fundamental para formular o que é conhecida como Lei do Pêndulo. Ele conseguiu convencer seu pai a deixá-lo trocar de curso. A partir de então, ele passou a ser pessoalmente acompanhado por Ostilio Ricci, que identificou que o rapaz era um estudante promissor.

Entretanto, Galileu abandonou o curso de Matemática em 1585. Depois disso, ele conseguiu seu sustento ensinando Matemática para estudantes e trabalhando em escolas de ensino artístico de Florença. Em 1589, ele conquistou uma vaga para trabalhar na Universidade de Pisa.

Existe a teoria de que, nessa época, Galileu realizou um feito impressionante, pois ele demonstrou que uma teoria que se sustentava desde a época de Aristóteles estava incorreta. Nessa teoria, Aristóteles afirmava que um objeto mais pesado caía com maior velocidade em direção ao solo do que um objeto mais leve.

Galileu teria provado que, na verdade, ambos objetos caem na mesma velocidade. Supostamente, ele teria atestado isso jogando bolas de metal de diferentes pesos do alto da Torre de Pisa. As bolas chegaram ao solo no mesmo instante, comprovando, assim, a sua teoria.

Depois que o contrato de Galileu com a Universidade de Pisa acabou, ele passou a trabalhar na Universidade de Pádua, onde atuou em campos do conhecimento como a Astronomia. Inclusive, a Astronomia, como veremos, é um dos campos em que Galileu mais se destacou.

Nessa fase de sua vida, o cientista inventou uma espécie de termômetro, chamado termoscópio. Esse objeto conseguia identificar as variações de temperatura do clima. Além disso, ele criou um compasso que foi muito utilizado pelas artilharias dos exércitos do período. Essas invenções garantiram a ele uma renda extra, o que foi importante na gestão econômica de sua família.

Saiba também: Platão — importante filósofo da Antiguidade

Estudos de Galileu Galilei na Astronomia

Em 1609, Galileu Galilei decidiu construir um telescópio depois que a notícia de que um fabricante de óculos holandês, chamado Hans Lippershey, havia inventado esse objeto. Logo de início, Galileu conseguiu construir telescópios melhorados em relação ao do holandês. Por meio deles, o físico deu início a um trabalho que se estendeu por toda a sua vida: a observação do Universo.

Galileu já era uma figura conhecida na península Itálica, mas seus estudos em Astronomia lhe garantiram maior prestígio como intelectual. Pouco tempo depois da produção de seus primeiros telescópios, Galileu construiu um aparelho 30 vezes mais potente do que o de Hans Lippershey e o utilizou para fazer diversas observações.

Em uma delas, o astrônomo constatou que a superfície da lua é cheia de imperfeições. Isso foi um choque para várias pessoas, pois muitos acreditavam que a superfície lunar fosse perfeitamente lisa, como a de uma pérola.

Galileu Galilei foi o responsável por descobrir quatro satélites que orbitavam Júpiter. Inicialmente, ele pensou que fossem estrelas, mas ao observar melhor, percebeu que na verdade eram corpos que orbitavam o planeta.

Isso foi uma descoberta significativa para ele. Imediatamente, Galileu questionou o modelo ptolomaico, à época reconhecido por muitos como real. Nesse modelo, a Terra é o centro do Universo e todos os corpos celestes orbitam ao redor dela.

A partir de então, Galileu passou a sustentar o modelo copernicano. Esse modelo, desenvolvido por Nicolau Copérnico, declara que o Sol é o centro do Universo, e os planetas, incluindo a Terra, giram ao seu redor.

Galileu Galilei ainda conduziu observações em planetas como Vênus e Saturno, chegando inclusive a observar os anéis deste. Essas novas observações apenas reforçavam a posição do cientista quanto ao modelo copernicano.

Galileu Galilei e a Santa Inquisição

Pintura do julgamento de Galileu Galileu em Roma, em 1633.
Galileu foi acusado de heresia por defender a teoria heliocêntrica.

Defender o heliocentrismo trazia riscos para o astrônomo e seus seguidores. Muitos ainda acreditavam no modelo ptolomaico, utilizando passagens bíblicas para defendê-lo, até porque a própria Igreja Católica defendia essa teoria. Nesse contexto, o trabalho de Galileu começou a chamar a atenção.

No final de 1613, uma mulher influente de Florença, conhecida como Cristina de Lorena (ou Cristina de Florença), questionou um seguidor de Galileu sobre o modelo copernicano e apresentou objeções com base na Bíblia. O físico, então, escreveu duas cartas para ela, defendendo o modelo heliocêntrico com base em argumentos científicos.

As cartas circularam livremente pela península Itálica. Nelas, Galileu afirmava que respeitava e acreditava na Bíblia, mas que ela não era base para estudos científicos. Pouco tempo depois, em 1615, ele foi denunciado à Santa Inquisição por heresia. Seus escritos sobre o heliocentrismo o haviam levado ao banco dos réus da Inquisição.

Na conclusão da investigação, Galileu não foi condenado, mas foi advertido a não defender o modelo copernicano. Além disso, ficou determinado que a publicação dos livros de Copérnico estava proibida. Assim, o astrônomo parou de defender o heliocentrismo publicamente e continuou com seus estudos.

Em 1632, Galileu publicou um livro, com a autorização da Igreja Católica, que teve enorme repercussão. A obra é chamada Diálogo sobre os Dois Principais Sistemas Mundiais. Por causa do livro, o cientista foi acusado pelo papa Urbano VIII de defender a teoria heliocêntrica, já que as personagens discutiam sobre os modelos copernicano e ptolomaico. Novamente, ele foi acusado pela Santa Inquisição.

No novo julgamento, Galileu foi ameaçado de tortura e obrigado a negar publicamente o heliocentrismo. Ele também foi condenado a passar o resto de sua vida em prisão domiciliar, que ele cumpriu em sua casa nos arredores de Florença. Seu livro também foi banido pela Inquisição.

Leia também: Martinho Lutero — o questionador da Igreja Católica que deu início à Reforma Protestante

Falecimento de Galileu Galilei

Os últimos anos de Galileu foram vividos em sua casa, devido à condenação, e ele saiu somente em ocasiões autorizadas pela Inquisição. Ele desenvolveu problemas de saúde e ficou cego. O astrônomo faleceu em 8 de janeiro de 1642. A Igreja Católica só admitiu que estava errada em relação ao julgamento de Galileu em 1992.

Por Daniel Neves Silva

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados