Martinho Lutero

Você está aqui

Martinho Lutero começou sua vida como católico e morreu como herege. Ele foi monge agostiniano, fervoroso nas meditações e orações, mas morreu casado com uma ex-freira. A cobrança de indulgências foi o principal motivo para que Lutero afixasse na porta da Igreja de Wittenberg suas 95 teses, criticando o que, de acordo com ele, eram práticas avarentas e pagãs dentro da Igreja Católica.

Ao dar início à Reforma Protestante, Lutero não imaginava que suas ideias motivariam rompimentos dentro do clero e uso político pelos reis e príncipes. A sua tradução da Bíblia para o alemão possibilitou a leitura e interpretação da Sagrada Escritura por parte do próprio fiel.

Leia também: Companhia de Jesus – ato de reação da Igreja Católica contra o protestantismo

Biografia de Martinho Lutero

Martinho Lutero nasceu em Eisleben, Alemanha, em 10 de novembro de 1483. Filho de Hans Lutero e Margarethe Lindemann, ele estudou nas escolas de Mansfeld, Magdeburgo e Eisenach, pois seus pais queriam vê-lo como funcionário público para melhorar as condições financeiras da família. Em 1501, Lutero matriculou-se na Universidade de Erfurt, onde se graduou no curso de Filosofia. Atendendo aos pedidos da mãe, ele se matriculou no curso de Direito, na mesma universidade.

Tudo mudou na vida de Lutero em 1505. Enquanto caminhava por uma estrada em direção à casa dos pais, caiu uma grande tempestade com inúmeros raios cortando o céu. Uma descarga elétrica caiu perto dele. Temendo por sua vida, Lutero fez uma promessa a Sant’Ana de que, caso a tempestade parasse, ele se tornaria um monge. Como se o céu atendesse ao seu pedido, a tempestade parou e Lutero cumpriu sua promessa ao ingressar na Ordem Agostiniana.

Ao entrar na Ordem Agostiniana em Frankfurt, no dia 17 de julho de 1505, Lutero dedicou-se fielmente às orações, autoflagelação e meditações. Quanto mais se dedicava à vida religiosa, mais sentia o peso dos seus pecados.

O superior da ordem, Johann von Stauptuioz, percebendo que Lutero precisava de mais trabalhos do que apenas ter uma vida contemplativa, pediu que ele iniciasse sua carreira acadêmica. Em 1507, Lutero foi ordenado padre e, no ano seguinte, começou a lecionar na Universidade de Wittemberg. Além disso, ele aprofundou os estudos sobre o grego e o hebraico para melhor compreender as palavras da Bíblia.

Lutero colaborou na fuga de 12 freiras que escaparam do Convento de Nimbschen. Uma delas, chamada Catarina Von Bora, casou-se com ele em 13 de junho de 1525. Esse casamento incentivou vários padres e freiras a romperem o celibato e casarem-se. Logo após o seu rompimento com a Igreja Católica, Lutero traduziu a Bíblia para o alemão, permitindo que qualquer indivíduo pudesse fazer a leitura da Sagrada Escritura sem qualquer mediação. O ex-monge morreu de causas naturais em 18 de fevereiro de 1546.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ideias de Martinho Lutero

No início do século XVI, a Igreja Católica estava empenhada em arrecadar fundos para a construção da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Como o projeto era enorme, os recursos financeiros também eram altos. Para atrair o maior número de participação dos fiéis e maior arrecadação financeira, muitos bispos começaram a cobrar por serviços da Igreja que, até então, eram oferecidos gratuitamente aos fiéis. As indulgências, isto é, a remissão dos pecados, começou a ser cobrada.

Não bastava simplesmente o fiel fazer sacrifícios e ter uma vida penitente, era preciso pagar pelo perdão dos pecados. Isso chamou a atenção de Lutero ao perceber a vida de luxo e bonança que o alto clero vivia enquanto a maioria da população estava na miséria. A alma penitente, a confissão dos pecados e a busca pela santidade não valiam mais do que algumas moedas depositadas nos cofres da Igreja.

Reforma Protestante

Em 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg 95 teses em que ele questionava as práticas mundanas do clero católico, a avareza e o paganismo que, na visão dele, existiam dentro da Igreja. As teses chamavam para uma disputa eclesiástica sobre elas. Rapidamente, elas se espalharam pela Alemanha e ganharam adeptos. Lutero não questionava abertamente a autoridade do papa para conceder as indulgências, mas, a partir do momento em que as teses foram divulgadas, seu propósito inicial foi interpretado de acordo com o interesse de quem as divulgava.

A Igreja, logo após Lutero afixar suas teses, nos primeiros dias, não tinha levado a sério o que pretendia o padre agostiniano. No entanto, como as ideias começaram a tornar-se conhecidas, o papa Leão X designou o professor de teologia Silvestro Mazzolini para respondê-las em tese acadêmica.

Ao publicar-se a réplica, Lutero respondeu ao teólogo, iniciando o debate sobre a autoridade do Sumo Pontífice. Como a controvérsia não tinha fim e os textos de Lutero, por causa da imprensa, eram divulgados rapidamente, o papa excomungou-o em 3 de janeiro de 1521. Para saber mais detalhes desse importante acontecimento histórico, leia: Reforma Protestante.

Lutero deu início à Reforma Protestante quando afixou na porta da Igreja de Wittenberg as suas 95 teses.
Lutero deu início à Reforma Protestante quando afixou na porta da Igreja de Wittenberg as suas 95 teses.

Dieta de Worms

A Dieta de Worms era uma assembleia realizada no Sacro Império Germânico, na cidade de Worms, de caráter deliberativo, e suas decisões valiam para todo o império. O imperador Carlos V inaugurou a dieta em 1521 e convocou Lutero para que, perante a assembleia, renunciasse ou confirmasse suas ideias.

Em 16 de abril de 1521, Lutero compareceu à dieta, e Johann Eck, assistente do Arcebispo de Trier, pediu que ele verificasse se os livros ali expostos eram dele e para que ele confirmasse se acreditava no que neles estava escrito. Lutero pediu um tempo para pensar na resposta, o que lhe foi concedido.

No dia seguinte, ele voltou à assembleia e confirmou o que havia escrito. Os dias seguintes foram marcados por discussões sobre qual destino deveria ter Lutero. Enquanto isso, ele fugiu de Worms, e o imperador redigiu o Édito de Worms, em 25 de maio de 1521, considerando-o fugitivo e herege. Suas obras foram banidas do império.

Martinho Lutero tendo que se explicar na Dieta de Worms sobre os seus escritos. Ele confirmou tudo que escrevera e foi considerado um herege.
Martinho Lutero tendo que se explicar na Dieta de Worms sobre os seus escritos. Ele confirmou tudo que escrevera e foi considerado um herege.

Resumo sobre Martinho Lutero

  • Martinho Lutero foi monge agostiniano e questionou a cobrança de indulgências por parte do alto clero da Igreja Católica.
  • Na Dieta de Worms, Lutero foi convocado a confirmar ou negar o que escrevera, e ele confirmou. Isso o fez ser banido do Sacro Império Germânico.
  • Casou-se com uma ex-freira, o que incentivou outros religiosos a romperem o celibato.
  • Fez a primeira tradução da Bíblia para o alemão.

Veja também: Invenção da imprensa – fator determinante para a propagação da tradução bíblica

Exercícios resolvidos

Questão 1 – Assinale a alternativa que corretamente corresponde às críticas luteranas às práticas do clero católico:

A) cobrança de indulgências

B) divindade de Jesus Cristo

C) virgindade de Maria

D) revogação do Concílio de Trento

Resolução

Alternativa A. Martinho Lutero foi um crítico ferrenho da cobrança de indulgências por parte da Igreja Católica porque ela desvalorizava a confissão dos pecados e a busca por uma vida de santidade.

Questão 2 – Foi em um édito que o imperador Carlos V declarou Lutero como fugitivo do Sacro Império Romano e herege, esse era o:

A) Édito de Milão

B) Édito de Santo Antônio

C) Édito do Vaticano

D) Édito de Worms

Resolução

Alternativa D. A Dieta de Worms era uma assembleia, convocada pelo imperador do Sacro Império Germânico, que deliberava decisões cujos efeitos valiam por todo império. O Édito de Worms, de maio de 1525, condenou Lutero e obrigou-o a fugir do império germânico para preservar sua vida bem como suas ideias.

Por Carlos César Higa

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados