Arte Grega - História da Arte Grega

Você está aqui

Home / Grega / Arte Grega - História da Arte Grega

Curtidas

19

Comentários

Compartilhe:

A literatura foi a maior e mais singular contribuição dos gregos a civilização ocidental.

Os arquitetos gregos demonstravam grande habilidade em seus projetos de tempos e edifícios públicos. Eles assentavam com perfeição os blocos de mármores ou de pedra calcária, sem usar argamassa e empregavam graciosas colunas para sustentar o trabalho dos tempos.

Na escultura usavam tanto mármore quanto bronze. Alguns famosos escultores: Fídias, Míron, Policleto, Lisípo, Praxíteles, Scópas. As pinturas desapareceram em sua grande maioria. Apenas vasos pintados foram preservados.

A música era executada por um só instrumento de sopro ou de cordas acompanhado por uma forte batida rítmica. Os instrumentos favoritos era a lira, a cítara, parecida com o alaúde, e o áulo, que lembrava um pouco o oboé. Eles apreciavam bastante o canto e escreveram muitos poemas em forma de canção com acompanhamento de lira. Eles chamavam essa poesia de lírica.

Da Grécia vieram os primeiros filósofos e grande sabedoria nas ciências.

A civilização grega glorificou o homem como a mais expressiva criatura do universo. Todos os gregos, embora divididos politicamente tinham uma unidade cultural.

Os gregos lançaram os alicerces da cultura européia.

A literatura helênica do século VII em diante:

Hesíodo expôs em versos, concepções sobre a origem do universo e dos deuses.

Calino compôs alegrias, em que chorava a morte de pessoas queridas.
Terprando fez cantos de amor.
Alceu, poeta, cantou sentimentos de pureza.
Safo, poetisa, também compôs belos cantos de amor.
Anacreonte reproduziu apaixonados sentimentos de amor.
Alcmar foi o autor de cantos destinados a cantos corais.
Píndaro ( V a . C ) foi o maior dos mestres da poesia.
Hecateu ( séc. VI ) descreve fatos históricos.
A oratória desenvolveu-se principalmente em Atenas. Os atenienses cultivavam com carinho a arte de discursar e quase todos os lideres políticos eram notáveis oradores.
Temístocles convencia as massas.
Péricles empolgava a todos.

Legado Cultural

A base da cultura européia ocidental foi formada pelo legado dos gregos.

Sua Filosofia permaneceu viva nos ensinamentos de Demócrito, Anaxágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, Tales de Mileto etc.

As obras dos grandes pensadores gregos são estudadas ainda hoje, como, por exemplo, "A república", "O banquete" e "Fedon" de Platão; e "A política" de Aristóteles.

Na medicina destaca-se Hipócrates; Euclides e Pitágoras, na Geometria; Arquimedes, na Física.

Nas artes a busca da perfeição estética foi uma constante.

Durante o século V a.C. a cultura grega atinge seu apogeu, sob o governo de Péricles, que protegeu os artistas e ordenou a construção de inúmeros monumentos.

Fídias é o maior escultor desse período. Sua estátua de Zeus Olímpico foi considerada uma das maravilhas do Mundo antigo.

Miron destaca-se com o "Discóbolo", em homenagem aos atletas.

Templos, teatros, anfiteatros e Odeons eram construído em mármore branco para a grandeza da Grécia, para que ela fosse vista pelos estrangeiros e sua beleza divulgada no mundo inteiro.

Seus padrões de colunas eram invejados e copiados por outros povos.

As peças de teatros ainda hoje são representadas em nossos teatros e seus autores, reverenciados: - Sófocles, Eurípedes e Aristófanes.

O grego Heródoto é considerado o pai da História.
Alcebíades era um dos mais aplaudidos pelo Dom de sua oratória. De estado ateniense estratego aos 30 anos, levou os atenienses a empreender a expedição da Sicília, comprometido em um escândalo religioso, fugiu para Esparta, visado pelos generais Lacedemonios, procurou refugiu junto ao Sátrapa tissafernes. Por meio de intrigas á distancia, conseguiu reatara as relações com as facções políticas de Atenas. Depois de uma série de sucessos militares, entrou triunfalmente em Atenas. Mas uma série de reveses obrigou ele a se refugiar na Trácia, onde morreu assassinado em 404 a . C por instigação dos espartanos.

Demóstenes (séc. IV a . C) foi o mais famoso orador ateniense e um dos maiores de todos os tempos (veja filípicas, onde advertiu os gregos contra o imperialismo macedônico). Depois da queda de Olinto, tornou parte na embaixada que concluiu a paz de Filócrates (346). Demóstenes incentivou Atenas a utilizar essa paz para se preparar para o conflito decisivo e, de 344 a 340 a. C., pronunciou as três últimas filípicas; nessa mesma época teve que lutar contra Ésquines, seu adversário político, a quem acusou de traição no seu discurso sobre a embaixada infiel. Até então, orador de oposição, Demóstenes chefe de partido. De 340 a 338, dirigiu a política ateniense e negociou uma aliança com Tebas contra Felipe; no entanto, este esmagou os coligados em Queronéia (338). Em (330) Demóstenes pronunciou seu discurso sobre a coroa, que justificava os atos e os princípios de sua política e redundou no exílio de Ésquines. Com a morte de alexandre iniciou a revolta das cidades gregas contra Antípatro. Em conseqüência a derrota de Atenas em Cranon (322), Demóstenes se envenenou. Sua obra de orador, composta de 60 discursos políticos e defesas civis, permanece até hoje como modelo.

Esquines , mestre de eloqüência, que travou duelo oratório com Demostenes.

Lisias foi um grande orador.

Isócrates, mestre de retórica.

O drama sempre foi uma das atividades cultivadas pelos gregos. Inicialmente, essas representações teatrais eram dedicadas ao deus Dionisio e consistiam em cantos corais. Mais tarde, em Atenas, um ator mantinha um dialogo com o mestre do coro. Destacam-se :
Esquilo grande dramaturgo, escreveu sobre a justiça dos deuses.

Sófocles, introduziu com esquilo a tragédia grega: ação, tempo, e local, onde as pessoa não podiam escapar a seu destino fantasma. Os maiores dramaturgos viveram em Atenas, na época de Péricles;

Euripedes introduziu inovações na arte dramática.

Aristofanes, comediógrafo, ridicularizou as idéias revolucionárias e criticou os costumes da época.

Homero escreveu livros que durante muitos anos foram considerados relatos de lendas gregas.
Mas quando o arqueólogo alemão Heinrich Schliemann escavou e descobriu, em 1870, Tróia, os textos de Homero adquiriram veracidade e importância histórica.

Esta máscara encontrada recentemente em um sítio arqueológico na grécia não se parece com um MOAI? Não se parece com o rosto das enigmáticas estátuas que existem na ilha de páscoa?

Civilização Grega

Curtidas

19

Comentários

Compartilhe: