Segunda Guerra Mundial

Você está aqui

Home / Idade Contemporânea / Segunda Guerra Mundial

O Exército Vermelho da URSS protagonizou algumas das principais batalhas da Segunda Guerra Mundial *

Curtidas

0

Comentários

Compartilhe:

Por Me. Cláudio Fernandes

A Segunda Guerra Mundial desenrolou-se no período de 1939 a 1945. Para compreender os motivos pelos quais esse conflito foi levado a cabo e de que forma se tornou tão grandioso, é preciso conhecer seus aspectos principais.

Ao fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, houve uma completa redefinição do mapa geopolítico mundial, a começar pela ruína de três grandes impérios: o Alemão, o Turco-Otomano e o Russo – esse último não apenas como consequência da guerra, mas também por causa da Revolução Russa que ocorreu em 1917. Sabemos que os motivos principais da Primeira Guerra estavam relacionados com o nacionalismo e com a busca desses impérios por expansão. Esses motivos também deram o tom da Segunda Guerra, que, para diversos historiadores, foi, em grande parte, a continuidade da Primeira.

A Alemanha saiu arruinada da Primeira Guerra Mundial. O peso das exigências do Tratado de Versalhes, que a obrigava a pagar indenização aos países vencedores (como a França), ceder territórios e não se rearmar, fez com que a situação desse país ficasse ainda mais complexa durante os anos 1920 e 1930. Esse período ficou conhecido, na história dos alemães, como a República de Weimar.

A realidade de outros países, como Itália e Espanha, também se tornou complexa nesse período. Outro tipo de tensão era derivado do comunismo bem-sucedido na Rússia e da pretensão que comunistas de outras nações tinham de realizar a revolução em outros solos. A situação no extremo oriente, com o imperialismo japonês disputando regiões com a URSS, tais como a Manchúria, também contribuía para a instalação de um cenário “explosivo”.

Mediante essas circunstâncias, durante essas duas décadas, 1920 e 1930, novos modelos de regimes políticos ascenderam na Europa. Esses regimes tiveram um caráter absolutamente autoritário e nacionalista com forte oposição ao modelo político típico do século XIX, o liberalismo. O fascismo, o nazismo e, no caso específico da URSS, o stalinismo figuraram entre os principais representantes desse novo tipo de proposta política, que ficou conhecida como totalitarismo. As características principais desse tipo de política eram a concentração do poder na figura do ditador (cuja personalidade era cultuada), a formação de uma economia de oligopólios, fortemente dirigida pelo Estado, e a formação de uma sociedade de massas disciplinada e militarizada.

Entre as pretensões do totalitarismo político, os planos nazistas, idealizados e organizados pelo seu líder, Adolf Hitler, foram, em grande parte, os principais responsáveis pelo desencadeamento do conflito mundial. Hitler soube canalizar o ressentimento que a população alemã nutria desde o fim da Primeira Guerra contra as nações vencedoras e transformá-lo em máquina de guerra. Em seus planos, vários pontos confrontavam o Tratado de Versalhes, como remilitarização da Alemanha e o projeto de construção do “espaço vital” para a raça ariana (branco) – fato que implicava a anexação de países, como a Áustria, e a submissão de outros, como a Polônia e a Checoslováquia.

A partir de 1936, com os regimes totalitários já fortalecidos, começaram a surgir os primeiros traços do que viria a ser a Segunda Grande Guerra. O auxílio prestado pelos nazistas ao general Francisco Franco no contexto da Guerra Civil Espanhola demonstrou o poderio da máquina de guerra alemã. Não demorou muito para que a Alemanha nazista impusesse seus anseios aos países mais próximos de seu perímetro. De 1937 a 1939, os nazistas passaram a ocupar e a pressionar vários países: Áustria, Checoslováquia, Polônia, Noruega etc. Mesmo com a tentativa diplomática da Liga das Nações na época de dissuadir Hitler de seus empreendimentos autoritários, ele continuou seus planos. A única resistência que Hitler considerava realmente importante era a da URSS. Por isso, em 1939, alemães e soviéticos assinaram o Pacto Germano-Soviético de não agressão, que dava aos nazistas a garantia de que, em um possível conflito da Alemanha contra Inglaterra ou França, a URSS não interferiria.

Com a invasão da Polônia, em 1939, que tinha por objetivo estabelecer uma ligação direta com a Prússia Oriental, a Alemanha deu o pontapé inicial para a guerra. Logo invadiu também a Bélgica e a França, que resistiram, mas, tal como a Polônia, não conseguiram enfrentar por muito tempo o sofisticado exército alemão. No caso da França, houve ainda a particularidade do governo de Vichy, liderado pelo marechal Petáin, que apoiava os nazistas. Ainda em 1939 a Inglaterra declarou guerra à Alemanha, e o conflito tomou rapidamente proporção continental.

A Itália fascista, liderada por Mussolini, apoiou a Alemanha e entrou na guerra em 1940, com forte atuação no sul da Europa e no norte da África, onde havia colônias francesas. No extremo oriente, o Japão, também autoritário e expansionista, aliou-se à Itália e à Alemanha, formando assim o Eixo Roma-Berlim-Tóquio. Em 1941, o ataque japonês à base naval norte-americana de Pearl Harbor mudou o cenário na guerra, projetando-a para todo o globo. O referido ataque japonês foi decisivo para que os EUA entrassem com seu contingente militar na Europa contra as potências do Eixo Roma-Berlim-Tóquio. A entrada dos EUA na guerra promoveu a formação das potências aliadas, isto é, Inglaterra, EUA, a resistência dos países que haviam sido invadidos, como a França, e outros países que antes não se posicionavam contra a Alemanha nazista, mas que depois passaram a fazê-lo, como URSS e o Brasil.

O Dia D, 6 de junho de 1944, foi marcado pela principal ofensiva das forças aliadas contra o exército alemão *
O Dia D, 6 de junho de 1944, foi marcado pela principal ofensiva das forças aliadas contra o exército alemão *

A principal operação comandada pelas potências aliadas foi o chamado dia D, em 6 de junho de 1944, que teve por objetivos: neutralizar o contingente militar alemão, libertar os países que estavam sob o jugo nazista e capturar Hitler e a cúpula do partido nazista. A guerra estendeu-se no continente europeu e no oceano Pacífico, contra o Japão, até 1945. Boa parte da cúpula de oficiais nazistas foi capturada, julgada e condenada. Hitler cometeu suicídio, junto a sua esposa. Mussolini foi fuzilado em praça pública.

O Japão, apesar de, em agosto de 1945, já estar com seu efetivo militar quase que completamente obsoleto, sofreu o pior ataque da história da humanidade: o bombardeio com bombas atômicas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki empreendido pelos EUA. A rendição do Japão, após esse cenário catastrófico, selou o fim da guerra e inaugurou um período de incerteza e de tensão extrema na segunda metade do seculo XX, a Guerra Fria.

*Créditos da imagem: Shutterstock e frescomovie's

**Créditos da imagem: Shutterstock e catwalker

Curtidas

0

Comentários

Compartilhe: